Clientes, lealdade e confiança.

Posted by on ago 19, 2019 in Blog | Acompanhe nossas notícias | No Comments

“Abri meu negócio e NÃO CONSIGO CONQUISTAR clientes”.

Esse é um pesadelo muito grande de milhares de empreendedores todo dia encarando seus medos e procurando seu lugar ao sol. Mas como fazer com que sua marca consiga a lealdade das pessoas?

Clientes negociam conosco por decisão própria. Pessoas insatisfeitas tem a opção de comprar em outro lugar. Um cliente vai embora quando se sente desamparado e desrespeitado.

Para isso não acontecer, destacamos 5 valores importantes:

1. Honra ao propósito. Pessoas preferem marcas compatíveis com o seu modo de pensar. Quando não tem propósito claro e apenas tenta adivinhar o que os clientes querem, a marca não honra aquilo que é importante para si mesma.

2. Ensinar. Servir os clientes e cuidar de seus interesses. Isso não tem a ver com a máxima que criaram que eles sempre têm razão. Mas uma relação ganha ganha só é possível se eles confiam em nós. Quando há confiança os clientes nos dão permissão para influenciá-los.

3. Verdade acima de tudo. Muita gente enxerga o marketing com desconfiança e que é uma ciência a fim de fazê-las tomarem decisões que não atendem seus interesses. Marcas baseadas na verdade não precisam mentir para estimular uma demanda artificial.

4. Clientes como embaixadores. Com informações verdadeiras e completas para produtos adequados as suas necessidades, eles se tornam porta-vozes da marca. O melhor marketing de uma empresa são clientes satisfeitos que “vendem” o negócio por você.

5. Elo entre equipe X clientes. A criação de valor para clientes passa pelos funcionários. Eles ajudarão atingir um serviço de qualidade e uma bela experiência de compra. Equipe feliz resulta em clientes satisfeitos.

É comum a empresa perder o foco na sua rotina e perder de vista o principal motivo de sua existência. Mas o bem-estar de clientes deve ser tratado como fim e não apenas como meio para se obter o lucro. Marcas que ignoram isso não são marcas conscientes.

A palavra “Consumidor” reduz as pessoas à mera função de consumir. É preciso enxergar os clientes como pessoas a quem servir. E não consumidores a quem vender. Esse é o espírito heróico da parada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *