A Doll Like Me. Quando o propósito existe e é libertador.

Posted by on ago 26, 2019 in Blog | Acompanhe nossas notícias | No Comments

Sua marca vive um propósito? O quanto você acha que marcas humanas impactam a sociedade? Dá para encontrar o equilíbrio entre lucro e consciência social? E quanto elas podem libertar o negócio apenas da necessidade do dinheiro?

Talvez sua marca esteja com dificuldade porque nunca se atentou a isso, não dava a devida importância para questões assim. São perguntas que nos fazemos quando estamos com a nossa empresa diante dos nossos olhos, entre criatura e criador. Se adaptar a esta nova era, novas economias com tendências globais que nos surpreendem a cada dia. Seguir um caminho! É um dilema imenso perseguir o que se acredita, mas que aquilo realmente faça sentido e coloque grana no caixa da empresa.

Foi o que fez a artesã e empreendedora americana Amy Jandrisevits. Ela criou um conceito chamado “A Doll Like Me” (em português, “Uma boneca como eu”), que consiste na criação de bonecas personalizadas para crianças com necessidades especiais e condições raras. As bonecas visam gerar uma identificação, pertencimento e fazê-las sentirem orgulho de serem exatamente como são. Tudo é feito de acordo com cada criança, desde ausência de membros até pintinhas pelo corpo.

É um case muito inspirador. Qual finalidade motiva a criação do seu empreendimento, da sua marca? Cada negócio tem a missão de encontrar o seu propósito, geralmente, presente no DNA da empresa, a fim de cumpri-lo de maneira consciente. ⠀
Assim que se conecta com seu propósito, a marca deve vivê-lo intensamente. Pra isso é necessário muita garra e perseverança e uma parceria estratégica pode te ajudar nisso. ⠀

A filosofia nos ajuda a criar formas de ver o mundo. Sugerimos que as marcas se conectem com seu propósito através de princípios de Platão: o bom, o belo e o verdadeiro. São princípios pelos quais a humanidade se expressa. E óbvio, dão ânimo aos negócios.

– O Bom: servir aos outros. Ex: Amazon;
– O Belo: excelência e criação da beleza. Ex: Apple;
– O Verdadeiro: buscar a verdade e perseguir o conhecimento. Ex: Google.

Faça esse exercício se a sua marca responde a estas questões. Uma coisa é fato, o propósito precisa pensar nas pessoas. Para isso que o branding existe! Conta com a gente! 💜

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *